A Igreja é a coluna (mestra) e sustentáculo (preservadora) da verdade – 1º Tim 3,15

~~~~~~~~

É importante falar de Deus, das coisas de Deus, sem tirar os pés do mundo, pois estamos nele, embora que não sejamos dele. O Viver em Deus, fala de Deus, dos fatos da Igreja, do meio cristão católico. O Viver em Deus não é fechado em si mesmo, portanto faz também a apresentação de obras de outros sites católicos, o que, aqui, mais se evidencia, no intuito da divulgação e conhecimento dos mesmos. UM BLOG A SERVIÇO DA IGREJA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Sejam todos bem - vindos!

~~~~~~~~

Quando neste blog é falado, apresentado algo em defesa da Igreja, contra o protestantismo, é feito com um fundo de tristeza ao ver que existem "cristãos" que se levantam contra a única Igreja edificada pelo Senhor Jesus no mundo. Bom seria se isto não existisse, a grande divisão cristã. Mas os filhos da Igreja têm que defendê-la.

Saibam, irmãos(ãs), que o protestantismo, tendo que se sustentar, se manter, se justificar, terá que ser sempre contra a Igreja católica (do contrário não teria mais razão de sê-lo) ainda que seja pela farsa, forjar documentos, aumentar e destorcer fatos (os que são os mais difíceis para se comprovar o contrário pelos cientistas católicos, pois trata-se de algo real, mas modificado, alterado para proveito próprio.) E tentarão sempre atingir a Igreja na sua base: mentiras contra o primado de São Pedro, contra o Papa e sua autoridade, contra o Vaticano, contra a sua legitimidade, e outros tantos absurdos. São, graças a Deus, muitos sites católicos que derrubam (refutam) estas mentiras, provando o seu contrário, bastando portanto se fazer uma pesquisa séria, por exemplo, com o tema: cai a farsa protestante, refutando o protestantismo, etc. O Espírito Santo jamais abandona sua Igreja. Que saibamos, por este Espírito, amar aos protestantes que não participam destas ações malignas, e aos que se incumbem destas ações, os inimigos da Igreja, que saibamos, ainda que não consigamos amá-los o bastante, ao menos respeitá-los em sua situação crítica perante Jesus e desejar a eles a conversão e a Salvação de Nosso Senhor Jesus. "Se soubéssemos verdadeiramente o que é o inferno, não o desejaríamos ao pior inimigo".

~~~~~~~~

Notas Importantes

*O marcador “IDOLATRIA”, na seção TEMAS, abaixo, à esquerda, assim está exposto com a função de desmentir as acusações de idólatras aos católicos, outras vezes também denunciando que estes próprios acusadores cometem a idolatria ao dinheiro, entre outras.

*Os anúncios que aparecem neste blog podem porventura não serem compatíveis com a doutrina católica, por escaparem da filtragem do sistema. Aconselha-se a quem se incomodar com estes anúncios, atualizar a página do blog até que eles sejam modificados.

*Ao usar o telemóvel escolha a opção “visualizar versão para a web”, localizada abaixo da opção “página inicial” , para que sejam utilizados todos os recursos apresentados na página como vista no computador.

~~~~~~~~

Para uma melhor visualização, abra o zoom de sua tela em 90%, ou de acordo com o seu encaixe

Tradutor

terça-feira, 30 de abril de 2013

Encontro de políticos católicos é promovido por CEFEP e CNLB



CNBB

Entre os dias 26 a 28 de abril de 2013, no Centro Cultural Missionário, (CCM), em Brasília, houve um encontro de políticos católicos. Participaram do evento cerca de 30 participantes entre vereadores e prefeitos católicos, eleitos, e candidatos não eleitos. O encontro foi promovido pelo Centro Nacional de Fé e Política Dom Helder Câmara (CEFEP) e do Conselho Nacional dos leigos do Brasil (CNLB).

“O objetivo do encontro foi reunir alunos e ex-alunos do CEFEP e do CNLB, para aprofundar sobre a consciência cristã diante do compromisso de um mandato eletivo. Para que, posteriormente, a experiência partilhada durante o encontro, seja levada para os diferentes regionais do Brasil”, explicou o secretário-executivo do CEFEP, padre José Ernanne Pinheiro. “O evento aconteceu num clima de reflexão madura e de oração. O trabalho se deu numa metodologia exigente, mas produtiva”, completou.

Durante a reunião, foi proposta uma Palestra sobre a Gaudium et Spes e a política, seguida da história e desafios da 5ª Semana Social Brasileira (SSB). Em seguida, houve um momento de partilha de experiências. Na parte da tarde, foram realizadas três oficinas, explicitando a bela experiência de mandato participativo, sobretudo em Guarapuava (PA), onde a vice-prefeita contou com um grande número de mulheres.

Uma segunda oficina tratou das fragilidades e desafios do legislativo municipal. Foram sugeridas audiências púbicas, e Comissões temáticas, mais acessíveis à participação do povo. A terceira oficina tratou do marketing político. Na última parte do encontro, foi feita uma reflexão sobre o texto votado na última Assembleia Geral da CNBB, chamado ‘Igreja e Eleições’.

Título original: CEFEP e CNLB promovem encontro de políticos católicos


Site: CNBB
Editado por Henrique Guilhon

segunda-feira, 29 de abril de 2013

O Papa Francisco lembra que confessar não é como ir a uma sessão de tortura


Foto: Gustavo Kralj - Gaudium Press

 Gaudium Press

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 29-04-2013, Gaudium Press) - A Missa que o Papa Francisco costuma celebrar diariamente na Capela da Casa Santa Marta teve hoje a participação de funcionários da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica e de algumas religiosas.

O Papa aproveitou a frase "Deus é luz e Nele não há trevas", da primeira Carta de São João, para desenvolver sua homilia.

"Todos nós temos obscuridades na nossa vida", ocasiões "em que há escuridão em tudo, inclusive na própria consciência", porém, afirmou o Papa, isto não é caminhar nas trevas.

"Caminhar nas trevas", ensinou o Santo Padre, "significa estar satisfeito consigo mesmo; estar convencido de que não precisa de salvação: Essas são as trevas!" E recomendou "Olhem seus pecados, os nossos pecados: todos somos pecadores, todos... Este é o ponto de partida. Se confessamos nosso pecados, Ele é fiel, é justo a ponto de nos perdoar."

Continuando, o Pontífice lembrou o que acontece no Sacramento da Reconciliação, a Confissão: "O confessionário não é uma tinturaria: é um encontro com Jesus que nos espera como somos. Temos vergonha de dizer a verdade, ‘fiz isso, pensei aquilo'. Mas a vergonha é uma virtude verdadeiramente cristã e também humana... a capacidade de envergonhar-se é uma virtude do humilde".

O Papa ainda destacou, antes de encerrar suas palavras, a importância das virtudes da humildade e da docilidade: "Humildade e docilidade são como uma moldura da vida cristã. Um cristão vive sempre assim, na humildade e na docilidade. E Jesus nos espera para nos perdoar. Confessar não é como ir a uma "sessão de tortura". "Não! Confessar-se é louvar a Deus, porque eu pecador fui salvo por Ele. E ele me espera para me repreender? Não, com ternura para me perdoar. E se amanhã fizer a mesma coisa? Confesse-se mais uma vez... Ele sempre nos espera". (JS)

Título Original: Confessar não é como ir a uma “sessão de tortura", lembra o Santo Padre


Site: Gaudium Press
Editado por Henrique Guilhon

O enfrentamento da escuridão da alma



Destrave

Quem nunca foi surpreendido por um apagão? Você está assistindo TV, ouvindo rádio, trabalhando… De repente, tudo se apaga e você se depara com a escuridão.

Muitas vezes na vida também somos surpreendidos por um momento de trevas que invade a nossa vida sem avisar e, assim como o apagão, nos assusta e nos faz perder o pique e a força para continuar. Mas, assim como na ocasião do apagão, podemos fazer algo e tentar enfrentar a noite escura sem perder a esperança.

Normalmente, nossa primeira atitude diante do apagão é ligar para companhia de luz e também de tentar encontrar uma vela para trazer um pouco de claridade, pelo menos para nos sentirmos um pouco mais seguros.

No momento de trevas, nós também podemos “ligar” e pedir, por meio da oração, o auxílio d’Aquele que possui a luz. À Ele podemos pedir o socorro e aguardar que Jesus nos envie ajuda. Talvez, como no caso da companhia elétrica, demore um pouco, mas a luz sempre volta a brilhar.A vela que podemos acender para iluminar nossa alma, até que a luz verdadeiramente brilhe em nosso coração, é a Palavra de Deus, fonte de esperança, de amor e segurança. Nela existe o combustível para reacender a chama da fé em nós.

Lembro-me de que quando eu era criança junto com meus irmãos; nós sempre encontrávamos um jeito de nos descontrairmos naquele momento de escuridão. Brincávamos com a luz da vela fazendo sombras na parede, contávamos histórias e brincávamos de esconder. O que me faz recordar a passagem que Jesus fala sobre ter um coração de criança, humilde, confiante e capaz de superar as próprias tristezas e reencontrar a alegria através de pequenos gestos.

Talvez, diante de você já se tenham apagado muitas luzes e já não existam razões para crer que a luz voltará a brilhar, mas não se dê por vencido, pois o Senhor virá e não tardará. Jesus prepara uma grande libertação para sua vida. Tenha a coragem de acender a vela e voltar à oração. Quando você menos esperar, a luz voltará e, assim como acontece em Minas Gerais, você poderá gritar de alegria ao se perceber iluminado. É bem comum, em nosso Estado, ouvirmos um grande grito quando volta a energia: “Aeeeeeee!”. Sua hora de gritar chegará, tenha fé!

Amém?

Alan Ribeiro
Ministério Bethânia

Título Original: ENFRENTANDO A ESCURIDÃO DA ALMA


Site: Destrave
Editado por Henrique Guilhon

domingo, 28 de abril de 2013

Cidades mais evangélicas X Cidades mais católicas


Pastores: ligação com bandidos
Fernando Nascimento

Este artigo foi escrito para acabar com a farsa de que a cidade de São Gonçalo-RJ é a “cidade mais evangélica do mundo” e que também é a cidade que “concentra o maior número de evangélicos por metro quadrado em todo o mundo”.

Antes, vamos ver parte do relato que o missionário protestante Alan Capriles faz em seu Blog diante do que vê nas ruas de São Gonçalo: “As estatísticas apontam São Gonçalo, no município do Rio de Janeiro, como a cidade que concentra o maior número de evangélicos por metro quadrado em todo o mundo. De fato, assim que cheguei a São Gonçalo, no final da década de 90, impressionou-me a quantidade de igrejas evangélicas que se espalhavam por toda a cidade. A princípio, julguei ser algo muito positivo, mas com o passar dos anos comecei a duvidar disso.”

E segue dizendo: “... a violência só tem aumentado nesta cidade. E continua o descaso dos políticos daqui para com o cidadão e do próprio cidadão para com o seu próximo. As ruas estão mais imundas do que nunca, não apenas porque a coleta de lixo é ineficaz, mas porque os próprios moradores de São Gonçalo não pensam duas vezes antes de sujar as ruas de sua própria cidade. E, enquanto os evangélicos de São Gonçalo se divertem, brincando de igreja, os bares, boates e motéis continuam se multiplicando por aqui. Aliás, pra quem não sabe, apesar de ser o segundo maior município do seu Estado, São Gonçalo não tem hotéis, nem sequer um, apenas motéis, e aos montes! Preciso dizer mais alguma coisa?”

Quem disse que evangélico não abre motel, bar e não bebe?

O missionário desconhece que a quase totalidade dos motéis dos Estados Unidos são abertos por evangélicos, e parece também desconhecer os verdadeiros hábitos etílicos de muitos evangélicos, mas o evangélico jogador Fred, atualmente lá no Rio de Janeiro dá a dica junto com o carioca bispo Edir Macedo, que tem muita igreja em São Gonçalo:

O jogador afirma que não deixou de tomar o seu chope, seu vinho e sai para dançar e conhecer mulher bonita. O atleta falou que está solteiro e costuma beijar quem lhe dá mole, mas que é difícil conquistá-lo. Segundo Fred, no Brasil, o ruim é que, se você estiver bem em campo, você pode virar 25 litros de pinga. Se estiver mal, não pode fazer nada. O atacante afirma que, apesar disso tudo, não mudará seus hábitos.

Já o bispo Edir Macedo, durante culto gravado em 30/1/2011, e postado o áudio no Youtube, confessa que bebe de vinho a cerveja.
“A religião evangélica proíbe beber vinho, é ou não é? Mas eu bebo o vinho, eu bebo um cálice de vinho. A religião proíbe beber cerveja, mas eu bebo cerveja quando eu estou com vontade eu bebo e acabou. E quem é que vai me dizer pra eu não beber? E sabe por que eu bebo? Porque a minha consciência não desaprova”, disse.

Por exemplo, o jogador evangélico Luiz Fabiano encheu o bolso fazendo propaganda de cerveja, confira:http://www.youtube.com/watch?v=SUiVXqO3hIg

Conheçam o BARMAN E OPEN BAR GOSPEL OU EVANGÉLICO:

Quem disse que evangélico não vai a boate?

O baterista da banda ‘Gurizada Fandagueira’, banda esta que incendiou a boate Kiss matando centenas de jovens, é o evangélico Eliel de Lima que o missionário pensa que não freqüenta boates.

Não adianta o missionário querer colocar um par de asas nas costas de quem se auto denomina “evangélico”, pois estes são apenas seguidores do mortal Lutero que morreu embriagado após ceifar a vida de centenas de camponeses e não ressuscitou no terceiro dia.

O próprio Lutero dizia arrependido sobre a religião que tinha fundado e perdeu o controle:
"Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças" ( Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 6l ).

Portanto missionário, não arrisque nada sobre o comportamento de um protestante, nem mesmo sobre um de sua denominação, pois ele pode ser seu concorrente amanhã.

Quanto aos pastores de São Gonçalo:

Três pastores foram presos transportando sete fuzis para bandidos



Pastores: ligação com bandidos


Três pastores de uma igreja evangélica foram presos por patrulheiros da Polícia Rodoviária Federal (PRF), quinta-feira (11), em Miranda, no Mato Grosso do Sul, com um carregamento de fuzis M-15, escondidos dentro do carro, que seriam entregues para traficantes do Morro do Martins, em Neves, São Gonçalo. Os sete fuzis estariam vindo da Bolívia e renderiam R$ 20 mil pelo transporte aos pastores.

Pastores ‘171’ aplicaram golpe de R$ 20 milhões em ‘ovelhas’


Pastores presos na operação "Deus tá vendo"

Um grupo de pastores e missionários de igrejas evangélicas de Niterói e São Gonçalo, suspeitos de aplicar golpes de vendas de veículos com o preço até 70% menor, está sendo investigado por policiais do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul. Na semana passada, dois pastores que se apresentavam com membros da Assembleia de Deus foram presos nos bairros Amendoeira e Alcântara, por agentes da polícia gaúcha, que desencadearam a operação ‘Deus Tá Vendo’.

Pastor traficante ‘roda’ com quase 2 kg cocaína em São Gonçalo

Trata-se de Valdécio Evangelista Valões, de 30 anos, segundo a polícia, ele já havia sido preso por tráfico de drogas em 2005, quando já fazia pregações na igreja. Contra ele havia um mandado de prisão expedido em 2006, também por tráfico de entorpecentes. A polícia chegou até o suspeito através de uma denúncia anônima.

Ainda dizia o missionário: “...parece não haver mais ética cristã por aqui. Por incrível que pareça, tornou-se comum em São Gonçalo encontrarmos uma igreja em frente de outra, ou até mesmo ao lado! E não pensem vocês que seus líderes estão preocupados se o volume do som interfere no culto da outra igreja. É guerra mesmo!”

Imagine o inferno que é esta cidade com um prefeito evangélico que tolera essa algazarra? O missionário foi ameno para não ferir seus confrades. Os políticos que ele se refere são evangélicos que se revezam na prefeitura e na câmara municipal. Enquanto isso, o sangue jorra pelas escadarias da câmara, do tribunal e toma as ruas de São Gonçalo, onde os bandidos recebem os fuzis e drogas distribuídos pelos pastores.

Cinco tiros mataram o vereador José Benjamim Sobral, em fevereiro de 1998. Em julho de 2003, outro vereador foi assassinado: Luís Carlos da Silva. Mais um vereador, Carlos Lopes da Silva, foi morto com nove tiros disparados por um motoqueiro em agosto do mesmo ano.

“Com essa falta presente do poder público, permite que grupos de interesse usem da violência para calar, principalmente, autoridades que lutam contra seus interesses”, acrescenta o ex-secretário de Segurança Pública Paulo Storani. Foi exatamente lá que trabalhava a juíza Patricia Acioli, executada com 21 tiros. O crime chamou atenção para outros juízes ameaçados.



21 tiros calaram a juíza Patricia Acioli

Em São Gonçalo, entre as taxas que mais aumentaram, a de estupros dobrou, com 11 vítimas em 2010 e 22 no ano seguinte. Mais recentemente uma turista americana foi estuprada pelos bandidos, que se revezavam com ela, enquanto seu namorado era, espancado. Esse crime teve repercussão internacional. Cresceu, também, o número de roubo a residências, de sete para nove (+28,5%). As tentativas de homicídio sofreram alta de 5,5%, com 19 casos nas últimas estatísticas.

Pelo mapa do IBGE, a incidência de pobreza em São Gonçalo é uma das maiores do estado (quase 40%), enquanto que a vizinha Niterói tem apenas 12% desse índice.

Imagine vocês, que foram identificados 44 policiais envolvidos no esquema de cobrança de propina e sequestro a traficantes da localidade.

A juíza Ana Paula Monte considerou como agravante que policiais vazavam informações para os traficantes, com data e hora das operações.

É isso que os evangélicos tem para oferecer ao Brasil?

Os evangélicos não são maioria em São Gonçalo, mas infelizmente são responsáveis pelo grave dano à cidade.

Os últimos resultados do Censo Demográfico 2010 para São Gonçalo mostram que os evangélicos ali não são maioria, como tenta fazer pensar o missionário Alan Capriles: 64,6% são católicos e só 22,2% são evangélicos. (Fonte: Censo Demográfico: IBGE 2010)

O que acontece ali é que os evangélicos em geral conduzidos por seus pastores interesseiros e marqueteiros misturam política com religião e concentram seus votos eleitorais num único candidato só porque aquele se diz “evangélico”, assim acabam por eleger gente incompetente e corrupta e todos pagam pelos pecados dos evangélicos.

Por exemplo: A ex-prefeita evangélica Aparecia Panisset, que ficou oito anos na prefeitura e deixou um rombo de R$ 186 milhões, responde a 45 ações na Justiça e está arrolada em 40 inquéritos civis instaurados pelo Ministério Público. A maioria deles, apura denúncias de desvio de verbas, improbidade administrativa, contratos irregulares, licitações irregulares e também casos de nepotismo, superfaturamento e desobediência judicial. http://robertatrindade.wordpress.com/2008/09/28/policia-investiga-marcio-panisset-por-corrupcao-e-formacao-de-quadrilha/

A intolerância religiosa era uma constante no governo Panisset. A tentativa desastrada de retirada do tapete da Igreja Católica, ainda no primeiro mandato, revelou que o governo de Panisset veio simplesmente para dar vazão “oficial” ao que os fanáticos evangélicos desejavam, mas fracassaram. Outros exemplos que se sucederam, entre eles, a derrubada da Casa da Umbanda, e a troca do nome da Praça Chico Mendes para Praça da Bíblia, confirmaram tal questão.

Neilton Mulim (PR) é o atual prefeito, é mais um evangélico a administrar São Gonçalo, ele é indicação de voto dos evangélicos: ex-governador Anthony Garotinho, condenado por abuso de poder político e de Rosinha Garotinho que teve o mandato de prefeita de Campos cassado por abuso de poder econômico. Péssimos exemplos.

Em flagrante crime de nepotismo, a primeira coisa que fez o atual prefeito Neilton, foi escolher seu próprio irmão, o vereador também evangélico Nivaldo Mulim (PR), para assumir a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.

Evangélicos do Rio de Janeiro

A grande quantidade de evangélicos verificados no Estado do Rio de Janeiro deve-se a uma manobra do então ex-governador Garotinho, que distribuía cem reais na forma de “cheque cidadão” só a quem se dissesse evangélico, seduzindo a muitos a quem ele mesmo negava a educação, saúde e segurança. Líderes comunitários e inclusive um pastor denunciou essa discriminação vergonhosa. 

São Gonçalo não é a cidade mais evangélica do mundo

Ao contrário do que afirma o missionário Alan Capriles em seu Blog, São Gonçalo não é “a cidade que concentra o maior número de evangélicos por metro quadrado em todo o mundo”, e como afirmam outros, esta também não é a “cidade mais evangélica do mundo”.

Estes títulos pertencem a cidade americana de Dallas, onde a religião protestante evangélica é praticada pela maioria dos habitantes da cidade, apenas cerca de 25% dos habitantes ali são católicos. À exemplo de São Gonçalo quanto a violência, Dallas tem sido a cidade americana com mais de um milhão de habitantes que possui as maiores taxas de criminalidade dos Estados Unidos.

A respeito de um documentário sobre Dallas revela uma autora evangélica:
“O programa teve por volta de uma hora de duração e eu estava assistindo sozinha. Quando o apresentador britânico encerrou seu estudo sobre Dallas, eu estava arrasada. Ninguém desejaria viver em uma cidade com aquelas condições. O crime, o sistema social falido, as doenças, as discrepâncias na Economia, a injustiça racial, tudo desqualificava aquela comunidade no quesito qualidade de vida adequada. E essa era a cidade mais evangélica dos Estados Unidos. Eu queria chorar.” (Extraído do livro: Modelo Social do Antigo Testamento: redescobrindo princípios de Deus para discipular as nações. Landa L. Cope)

É por essas e outras que pela primeira vez em sua história, os Estados Unidos não têm mais uma maioria protestante, de acordo com um estudo recente. (Com informações do DailyMail e Associated Press.)

Deus proteja a população de São Gonçalo. Já dizia Edmund Burke: "O mal triunfa sempre... que os bons não fazem nada."

Cidades mais católicas do Brasil

Basílica de Aparecida

Conheçamos então as cidades católicas brasileiras que concentram o maior número de católicos por metro quadrado no país, sem os problemas sociais, criminalidades, e corrupções de São Gonçalo governada por evangélicos:


A revista evangélica Eclésia diz: "(...) haverá de se espantar se der uma olhada nas estatísticas religiosas da região de Aparecida (SP). Ali, na cidade que é o principal pólo do catolicismo no país e abriga a majestosa Basílica de Aparecida, dedicada àquela que é considerada pelos católicos como a santa padroeira do Brasil, os evangélicos têm pouco espaço. A inauguração do megatemplo, em 1967, foi decisiva para que a cidade tenha um dos menores percentuais de população evangélica do país – segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, ela não passa de 5%. E isso não acontece só em Aparecida. Em outras sete cidades da região, a presença dos crentes é pífia. Municípios como Silveiras, São Luís do Paraitinga, Areias, Redenção da Serra, São José do Barreiro e São Bento do Sapucaí chegam a apresentar apenas 3 por cento de evangélicos entre seus habitantes. Em Lagoinha, a escassez evangélica é ainda mais aguda: na cidade, de 5 mil habitantes, vivem apenas 56 crentes."

Se você não vê o nome dessas cidades estampados nas manchetes policiais dos jornais, é porque ali a paz reina.



Site: Fim da Farsa
Editado por Henrique Guilhon

O milagre eucarístico de Teresa Newman



Voz da Igreja

A vida de Teresa Newman mudou radicalmente depois da milagrosa cura da paralisia e da cegueira que teve aos 25 anos. Alguns anos depois recebeu os estigmas e iniciou um jejum que durou 36 anos, até a sua morte. O seu único alimento foi a Eucaristia e por isso a autoridade nazista, durante a guerra, retirou-lhe o subsídio alimentar, mas concedeu um ração dupla de sabão para lavar as roupas que todas as sextas-feiras se empapavam de sangue, quando em êxtase recebia as marcas da Paixão de Cristo. Hitler tinha muito medo de Teresa e ordenou aos seus oficiais: “Não toquem nela!”.

Teresa Newman (Therese Neumann) nasceu em Konnersreuth, norte da Bavaria, Alemanha, no dia 8 de abril de 1898, numa Sexta-Feira da Paixão, numa família muito pobre e profundamente católica. No seu diário, escreveu que o seu maior desejo era ter sido missionária na África. Tragicamente, porém, um acidente que sofreu aos vinte anos impediu-a de realizar o seu sonho. Em 1918, uma fazenda vizinha incendiou-se e Teresa correu para ajudar, mas pelo grande esforço de carregar os baldes de água para apagar as chamas sofreu uma grave lesão na medula espinhal que a deixou paralisada e completamente cega.

Teresa passava todo o dia em oração, e um dia, no ano de 1923, aconteceu o grande milagre da sua completa cura, em presença do Padre Josef Naber, que testemunhou como tudo aconteceu: “Teresa disse que via uma grande luz e uma voz extraordinariamente doce perguntava se ela queria curar-se. A resposta de Teresa foi surpreendente; disse que para ela tudo estava bem, ficar curada, continuar doente ou morrer, contanto que fosse feita a Vontade de Deus. A voz misteriosa lhe disse que 'hoje ela teria, sim, uma pequena alegria, ficaria curada da sua doença, mas que depois sofreria muito'".

Teresa foi então milagrosamente curada, recuperando os movimentos do corpo e a visão, para tremendo espanto de todos quantos a conheciam! 

Por algum tempo ela esteve bem de saúde. Em 1926, porém, começaram as experiências místicas que duraram até a sua morte: recebeu os estigmas e passou a adotar o jejum completo, tendo a Eucaristia como o seu único Alimento. Pe. Naber, que lhe ministrava a Comunhão todos os dias, até o momento da sua morte, escreveu: “Nela se cumpre literalmente a Palavra de Deus: 'Pois a minha Carne é verdadeiramente uma Comida e o meu Sangue é verdadeiramente uma Bebida”.

Teresa oferecia seu sofrimento físico a Deus: perdia sangue com os estigmas e grande sofrimento, que durava desde a quinta-feira, dia do início da Paixão do Senhor, até o domingo, dia da sua Ressurreição, e rezava pelos pecadores que lhe pediam ajuda. Cada vez que era chamada ao leito de morte de uma pessoa, testemunhava no juízo particular dela, o que ocorre imediatamente depois da morte.


Os impressionantes êxtases de Teresa Newman

As autoridades eclesiásticas realizaram muitos controles e monitorizaram o jejum de Teresa; o Jesuíta Carl Sträter, por ordem do Bispo de Ratisbonne, encarregou-se das investigações sobre a vida de Teresa e os seus estigmas, e declarou: “O jejum de Teresa Newman quis demostrar a todos os homens do mundo o valor da Eucaristia, dar a entender que Cristo é verdadeiramente Presente sob as espécies do Pão e que através da Eucaristia é possível conservar inclusive, a vida física”.

Quando, em setembro de 1927 o Dr. Fritz Gerlich foi a Konnersreuth para tentar, "em nome da razão e da ciência", esclarecer o caso da estigmatizada Teresa Newman, viu-se diante de uma mulher humilde, que dali a não muito pouco tempo conseguiria dar às suas verdades um significado mais amplo. Os sinais da Crucificação de Cristo, que sofria na carne com tanta nobreza, o jejum de 36 anos e a vasta gama de fenômenos sobrenaturais ligados à sua pessoa representavam e representam a prova física da existência da Realidade além das nossas percepções sensoriais.

Em julho de 1927, a Cúria de Ratisbona mandou que fosse feita uma análise cuidadosa do caso Teresa Newman, a fim de verificar a veracidade ou não dos fenômenos. Uma comissão médica composta de um psiquiatra, Dr. Ewald, um médico, Dr. Seidl, e quatro enfermeiras freiras, supervisionou Teresa por um período de quinze dias. De duas em duas, as irmãs, sob juramento, vigiaram ininterruptamente até o menor movimento de Teresa. A ela foi proibido o acesso ao banheiro, sendo que todas as suas secreções eram recolhidas e examinadas. Médicos fizeram análises minuciosas das feridas e verificaram muitas vezes o seu peso e a sua temperatura corporal. No final dos quinze dias, declararam a impossibilidade de a medicina explicar os estigmas, e confirmaram que nenhuma substância tinha sido ingerida pela mulher durante o período da análise.

Dentre todos que a conheceram, incluindo os profissionais de psiquiatria e medicina, ninguém observou em Teresa nenhum sinal de desequilíbrio mental ou emocional, de auto-sugestão ou da chamada "beatice" que, de acordo com o parecer de alguns céticos seria a explicação para o aparecimento das chagas no corpo da mulher. Conta-se que certa vez, respondendo a uma dessas insinuações, disse Teresa: "Se o senhor acreditasse que é um boi, acha que lhe cresceriam chifres?”...

Durante as visões e êxtases, Teresa falava com facilidade e corretamente em grego, latim, francês e aramaico, fato que assombrou especialistas como o Profº de filologia semítica Johannes Bauer, o orientalista e papirólogo vienense, Profº Drº Wessely e o Arcebispo católico de Ernaculum-India, Dr. Parecatill. Os três concordavam em afirmar que Teresa se exprimia na língua que se falava na antiga Palestina.

O pedido de beatificação de Teresa Newman foi feito pela Arquidiocese local alemã em 13 de fevereiro de 2005.

"A Mesa da Eucaristia não nos oferece somente a Morte e o Sepulcro e a participação a uma vida melhor, mas Ele mesmo, o Ressuscitado; não somente os Dons do Espírito, mesmo que sejam enormes, mas o Benfeitor mesmo, o Templo mesmo em que é fundado o Universo dos Dons. (...) Como a boa oliveira enxertada na oliveira selvagem a muda completamente na sua própria natureza, de modo que o fruto não tem mais as propriedades da oliveira selvagem, do mesmo modo também a justiça dos homens, por si não serve para nada, mas logo que ficamos unidos a Cristo, recebido na Comunhão da sua Carne e do seu Sangue, pode produzir imediatamente os maiores bens, como a remissão dos pecados e aherança do Reino, bens que são fruto da Justiça de Cristo." (Nicolas Cabasilas)

_________

Fontes e bibliografia:
NASINI, Gino. O Milagre e os Milagres Eucarísticos. São Paulo: Loyola / Palavra & Prece, 2011, pp. 166-167.
FICKETT, Harold. Coisas no Céu e na Terra, investigação do sobrenatural. São Paulo: Loyola, 2003, p. 22

Título Original: Teresa Newman, mística estigmatizada, alimentou-se somente da Eucaristia por 36 anos


Site: Voz da Igreja
Editado por Henrique Guilhon

sábado, 27 de abril de 2013

JMJ prepara acolhimento para peregrinos com deficiência



Rio2013

A menos de três meses da JMJ Rio2013, mais de 200 voluntários foram convocados para um dia de formação especial: eles foram selecionados para cuidar dos peregrinos com deficiência durante o evento. O treinamento, o primeiro dentre vários até a semana da Jornada, envolve voluntários diocesanos, ou seja, da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

A organização dividiu em quatro grandes grupos a atenção às pessoas com deficiência: cegos, surdos, cadeirantes e pessoas com paralisia cerebral e pessoas com deficiência intelectual. A cada uma delas é garantida a atenção às diferentes realidades de deficiência. Vale ressaltar que os voluntários não serão acompanhantes, mas auxiliarão pontualmente nas necessidades específicas.

Na formação, os voluntários vão conhecer as definições de conceitos de cada uma dessas áreas. Na oportunidade estarão presentes vários grupos e organizações que trabalham com pessoas com deficiência, como o Grupo FCD (Fraternidade Cristã de pessoas com Deficiência), movimento ecumênico formado por cadeirantes; o Movimento Fé e Luz, grupo católico que acolhe pessoas com deficiência intelectual; e da Arquidiocese do Rio de Janeiro, participarão a Pastoral dos Surdos e a Catequese Especial, que trabalha com crianças e jovens autistas.

Os detalhes sobre as atenções a cada grupo serão passados pelas próprias pessoas com deficiência, com a participação de 40 surdos, 10 cadeirantes e uma pessoa cega com seu cão guia. Segundo César Bacchim, responsável pelas medidas de acessibilidade e comunicação às pessoas com deficiência na JMJ Rio2013, a interação e convivência entre os voluntários e as pessoas com deficiência no treinamento já faz parte da formação, fazendo com que os jovens tenham mais contato com as diversas realidades que encontrarão em julho, durante a Jornada.

A formação vai acontecer neste sábado, dia 27, das 9h às 13h, no Auditório do Edifício João Paulo II, que fica na rua Benjamin Constant, 23, 2º andar, na Glória, no Rio de Janeiro. Mais informações pelo telefone 2292-3132, ramal 250.

Como será a participação do peregrino com deficiência na JMJ Rio2013?

O peregrino com deficiência precisa deixar claro que deseja uma hospedagem diferenciada e a natureza específica de sua necessidade deve ser indicada durante o processo de inscrição. A organização do evento entende que os grupos daqueles que não optam por essa opção vão prover o que é necessidade de um cadeirante, por exemplo, durante a JMJ.

A equipe de organização ainda está elaborando medidas mais específicas de acessibilidade e comunicação. Algumas medidas são comuns a todos os peregrinos com deficiência. Entre elas:

> Cada peregrino terá sinalizado em seu crachá a cor e o símbolo internacional relacionado a sua deficiência para identificação, conforme já utilizado na ONU, nos órgãos governamentais e na Igreja.

> Todas as pessoas com deficiências serão tratadas como peregrinos e serão alocados conforme o idioma do país de origem.

> No Festival da Juventude, as apresentações que contam com serviços de interpretação e acessibilidade aos peregrinos com deficiência serão indicadas em panfletos da programação, com os símbolos internacionais.

> A hospedagem é oferecida para o peregrino com deficiência e seu acompanhante e, nestes casos, a JMJ oferece transporte diferenciado para o peregrino participar dos Atos Centrais. No caso da Vigília.

> As pessoas com deficiência terão um espaço garantido próximo ao palco dos Atos Centrais e nas Catequeses. Desde que elas estejam com suas credenciais, terão acesso a esse espaço, pois quanto mais próximo ao Santo Padre, maior a segurança. As pessoas com deficiência não serão obrigadas a ficarem nesse espaço especial. Se desejar participar dos Atos Centrais em outros setores do Campus Fidei (Guaratiba) ou fora do local especial na Praia de Copacabana, poderá fazê-lo. Somente os peregrinos com cadeirantes e com alguma deficiência de locomoção serão transportados em veículos adaptados até Guaratiba, para participar da Vigília (no sábado, dia 27) no Campus Fidei. Quem optar por participar destes Atos Centrais deverão permanecer a noite toda no local até o final da Missa de Envio, no domingo, quando veículos adaptados voltam para buscar os peregrinos desse grupo.Os demais participarão com outros inscritos na peregrinação até o local e a volta.

Algumas medidas já estão sendo tomadas em cada peregrino dos grupos para garantir a participação. Entre elas:

> Cadeirantes e pessoas com paralisia cerebral: em todos os Atos Centrais haverá acessibilidade para cadeiras de rodas em locais próximos ao palco, ponto fundamental para a participação na praia de Copacabana, por exemplo. Banheiros e rampas aos cadeirantes estarão disponibilizados nos principais locais da JMJ Rio2013, como nos Atos Centrais, Catequeses, Feira Vocacional e Festival da Juventude.

> Surdos: nos Atos Centrais, haverá intérpretes de LIBRAS (linguagem brasileira de sinais) nos telões que retransmitem as atividades do palco. Os peregrinos com deficiência auditiva de outros países não terão catequese diferenciada, já que é comum eles viajarem com intérpretes para fazer a tradução do que for dito.

> Cegos: a versão resumida da programação da JMJ Rio2013 e informações gerais serão traduzidas em grafia Braille (sistema de leitura com o tato para cegos) para a Língua Portuguesa e entregue ao peregrino com essa deficiência.

> Pessoas com deficiência intelectual: o maior cuidado é que seja garantido o espaço especial próximos do palco dos Atos Centrais. A necessidade de um acompanhante nesse caso se torna indispensável para a participação do peregrino.

Para mais informações sobre as questões de acessibilidade e comunicação, envie um e-mail para disability@rio2013.com.

Título Original: JMJ Rio2013 se prepara para acolhida aos peregrinos com deficiência

Site: Rio2013
Editado por Henrique Guilhon

Uma tática protestante; Mas nós estamos atentos



Blog Católico do Leniéverson

 Cá eu zapeando, há uns 15 minutos, a minha TV que sintoniza canais abertos (aqueles em que 'pegam' com a antena comum), me deparo com o canal 16 UHF (aqui em Campos/RJ é a TV Gênesis da Sara Nossa Terra ). Estava passando um programa da Igreja Batista Central de Brasilia. Um pastor estava pregando no púlpito para uma legião de pessoas, a maioria jovens. Em um determinado trecho de sua ministração da palavra, ele dizia sobre as Sagradas Escrituras: 

"A Bíblia não é um conto de Monteiro Lobato, é um livro que passou por diversos concílios. Foi feita pelos pais da Igreja, muitas mãos construíram a Bíblia".

Aí, eu, Leniéverson, Pensei, o cara só esqueceu de dizer que os Pais da Igreja, eram católicos. Entenderam a manha?

Leniéverson Azeredo Gomes

Título Original: Vejam só, como é a 'esperteza' discursiva protestante


Site: Blog Católico do Leniéverson
Editado por Henrique Guilhon

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Encontra-se tempo para tudo, menos para a oração


Mons. Jonas Abib

Muito pior do que a esterilidade física é a esterilidade espiritual de nossa fé. O pecado, o mundo, o demônio conseguiram fazer de nós homens e mulheres estéreis na fé e na confiança em Deus.

É preciso – como Ana (cf. I Samuel 1,10.12-17) – derramar nosso coração diante do Senhor.

Infelizmente, somos homens e mulheres de pouca fé; gastamos um pouquinho de energia para pedir e já desanimamos. Dizemos que é impossível alcançar a graça e o milagre de que necessitamos e “entregamos os pontos”. Rezamos um pouquinho, e com isso, achamos que já rezamos muito. Arrumamos tempo para tudo, menos para orar e adorar nosso Deus. É como numa corrida: o corredor precisa ter força nas pernas não somente na descida; ele precisa continuar com firmeza e agilidade no mesmo ritmo também na subida e na reta. Vence aquele que não arrefece e conserva o ritmo até a chegada. 

Todo cristão precisa dessa firmeza. O mundo tornou-se um deserto de fé e de amor. Por isso, o Senhor quer nos devolver a fecundidade da fé que foi esterilizada pelo sistema desse mundo e pela tentação.

«Nos livros, procuramos Deus; na oração, encontramo-Lo. A oração é a chave que abre o coração de Deus» (Padre Pio de Pietrelcina). 

Rezemos, irmãos, com fé, esperança e amor, pois o nosso milagre está próximo e a nosso alcance. Para isso, o Senhor nos dá uma graça extraordinária: o derramamento do Espírito Santo. Peçam-no sobre os seus e sobre vocês. 

Peçam esta graça ao Senhor:

Senhor, eu preciso ser uma pessoa de fé. Preciso orar sem cessar, com fé e perseverança. Preciso orar diante do impossível sabendo que nada é impossível para Ti e tudo é possível ao que crê. Senhor, eu renuncio a toda incredulidade e impiedade. Liberta-me pelo teu Espírito; não posso e não quero permanecer estéril. Preciso desse milagre. Pelo teu Espírito Santo, renova-me e restaura-me. Amém.

Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

Veja também:
.: Conteúdo acessível também pelo iPhone

Título Original: Arrumamos tempo para tudo, menos para orar.


Site: Canção Nova.com
Editado por Henrique Guilhon

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Maria ficou surpresa ao saber que conceberia uma criança sendo virgem?


Veritatis Splendor

Questionamento protestante: O argumento de vocês acerca de Maria permanecer virgem por toda a sua vida, baseado em Lucas 1,34 ("Como se fará isto, visto que não conheço homem algum?") é falho. Maria entendeu que o Anjo se referia a uma concepção que já tinha se dado. Ela apenas ficou surpresa por conceber uma criança embora não fosse ainda casada. Seu comentário "não conheço homem algum" se refere a este momento, não ao futuro (Anônimo).

Resposta: A concepção de Jesus não ocorreu antes da mensagem de Gabriel a Maria. Lucas 2,21 diz: "E, quando os oito dias foram cumpridos, para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido".

Observe que Lucas afirma que Jesus foi assim chamado pelo Anjo antes da sua concepção. Esta ocorreu, segundo Lucas 1,31, na Anunciação. Logo, Jesus não poderia ter sido concebido antes deste acontecimento.

Ademais, a mensagem de Gabriel a Maria emprega o tempo futuro. Ele diz a Maria: "Eis que em teu ventre conceberás"; e não: "Eis queconcebeste" [no tempo passado].

Se Gabriel não disse que ela estava grávida, então a resposta de Maria não poderia ser: "Como posso estar grávida se sou virgem?".

Isto nos leva novamente ao argumento que você menciona em sua pergunta. Já que Maria estava desposada com José (Lucas 1,27), a declaração de Gabriel afirmando que ela iria conceber uma criança não deveria surpreendê-la.

Além disso, não há nada de incomum uma jovem desposada ouvir que ela terá um filho algum dia. Assumindo que Maria tivesse a intenção de manter normalmente relações conjugais com José, não haveria razão alguma para ela perguntar como isso se daria. Até porque ela era uma camponesa (para os nossos padrões atuais) e sabia muito bem como os bebês eram feitos.

Assim, a pergunta de Maria sobre como a sua maternidade poderia ocorrer apenas significa que ela pretendia permanecer virgem e queria saber como esta sua decisão era compatível com as palavras que Gabriel lhe dirigiu.


Foto: Web

Site: Veritatis Splendor
Editado por Henrique Guilhon

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Um beija-flor pousa na mitra do Bispo emérito Onieres diocesano de Lages/SC



Blog Católico do Leniéverson

Um fotógrafo de Santa Catarina registrou, no dia 3 de fevereiro deste ano, imagens de um beija-flor pousando na mitra do Bispo emérito Onieres diocesano de Lages/SC, Dom Irineu Andreassa(foto), durante uma missa de crisma na cidade de Bocaina do Sul, que integra a diocese, localizada na bela região serrana catarinense. 

 

 Segundo Marcelo Castellen, autor da foto, a cena ocorreu enquanto os crismandos recebiam o óleo tradicional da cerimônia. “Eu estava exatamente ao lado do bispo, fotografando o momento da unção. Por isso consegui captar a imagem”, afirmou.

Título Original: Vejam só essa cena curiosa que se passou em Santa Catrina: Um beija-flor pousando na mitra do Bispo emérito Onieres diocesano de Lages/SC


Site: Blog Católico do Leniéverson
Editado por Henrique Guilhon

terça-feira, 23 de abril de 2013

O pedido de ajuda ao Anjo da Guarda



Mons. Jonas Abib

Se sua casa se tornar um santuário de oração, acredite: seu lar será visitado por anjos. Mais ainda: o anjo da guarda estará muito presente lá e, portanto, você não estará mais sozinho. Muitas vezes, nós estragamos tudo porque fazemos as coisas por nós mesmos: são os nossos planos, as nossas vontades que prevalecem. Precisa ser, radicalmente, o contrário: ore, peça, interceda e tenha certeza de que o próprio Senhor vai fazer com que o anjo da guarda de cada pessoa da sua família entre em ação para trazer a paz, a concórdia, a libertação e a saúde de que precisam. 

Quanto à educação de nossas crianças, confie seus filhos ao anjo da guarda de cada um deles; peça ao seu anjo que lhe dê sabedoria para educá-los. Ele irá colocar na sua mente e no seu coração a sabedoria que você necessita ter; também vai corrigi-lo em coisas que você não deve fazer. Se você ouve e obedece, vai obter a sabedoria de que precisa para educá-los. 

Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

Veja também:
.: Conteúdo acessível também pelo iPhone

Título Original: Peça auxílios ao seu anjo da guarda


Site: Canção Nova.com
Editado por Henrique Guilhon

Dom Raimundo Damasceno disse que a 51ª Assembleia Geral teve excelente saldo



CNBB

A coletiva de imprensa do último dia da 51ª Assembleia Geral da CNBB foi composta pela presidência da CNBB, Cardeal dom Raymundo Damasceno, presidente e arcebispo de Aparecida (SP); dom José Belisário da Silva, vice-presidente e arcebispo de São Luís (MA) e dom Leonardo Ulrich Steiner, secretário geral e bispo auxiliar de Brasília.

No início da coletiva dom Raymundo saudou os jornalistas presentes e aqueles que acompanharam ao vivo pelo Portal A12. O cardeal destacou o trabalho da imprensa e revelou o sentimento de gratidão pelo trabalho que foi realizado durante a 51ª Assembleia. “Estamos gratos e agradecemos o trabalho realizado por vocês durante esses 10 dias que estivemos reunidos aqui em Aparecida”, disse.

O presidente da CNBB avaliou que a 51ª Assembleia Geral foi uma ocasião de profunda experiência eclesial. “Estivemos reunidos para rezar, refletir e promover o aprofundamento de nossa comunhão. O resultado desse nosso empenho foi o melhor possível. Encerramos o encontro com um saldo excelente”, ponderou.

Durante a coletiva foi feito um balanço das atividades realizadas. Sobre o tema central da Assembleia 2013 “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia”, dom Raymundo disse que “já era previsto que seria aprofundado na assembleia desse ano e continuaria sendo levado para as dioceses para novos estudos e somente na assembleia do próximo ano que será apresentado para a aprovação final”.

O cardeal explicou que o tema central se situa na busca por uma maior “conversão pastoral” e apontou algumas reflexões sobre o estudo como a cultura dos tempos atuais, o desafio e a necessidade de considerar a mudança de época, o reconhecimento que o lugar privilegiado para realizar uma experiência concreta com Jesus Cristo é a comunidade eclesial e por fim o reconhecimento de que a paróquia é a grande escola da fé, da oração, dos valores e costumes cristãos.

Além do tema central, dois outros assuntos foram destacados na coletiva: o estudo sobre a Questão Agrária e o Diretório para a Comunicação no Brasil. Os dois temas foram amplamente discutidos pelos bispos que decidiram pela continuidade da reflexão antes de se tornarem documentos da CNBB.

Foi destacado também assuntos abordados durante a Assembleia como a Jornada Mundial da Juventude, os textos litúrgicos e a Campanha da Fraternidade.

No final de suas palavras dom Raymundo Damasceno apresentou outros dois frutos da Assembleia que são um subsídio que os bispos estão oferecendo a todos as comunidades para aprofundamento do tema das eleições e uma Nota que foi emitida em defesa dos direitos indígenas e quilombolas, pela rejeição da PEC 215.

Título Original: “Encerramos o encontro com um saldo excelente”, destacou dom Raymundo Damasceno sobre a 51ª Assembleia Geral


Site: CNBB
Editado por Henrique Guilhon

segunda-feira, 22 de abril de 2013

O critério para um católico verdadeiro


Dom Henrique

A Igreja de Cristo é peregrina; caminha na história. Isto faz parte da sua essência, pois que ela é continuadora e testemunha da obra salvífica de Deus que, sendo eterno e imutável, entrou no tempo dos homens, primeiro na história de Israel, o Povo eleito da Antiga Aliança e, na plenitude dos tempos, de modo pleno, em Jesus Cristo, Cabeça e princípio da Igreja e Salvador da humanidade.

A verdade de Deus, transmitida na Tradição apostólica, é imutável, mas vai sendo compreendida cada vez mais, cada vez melhor, cada vez de modo mais abrangente pela Igreja através do tempo. Não há como fugir disso: a temporalidade, a progressão, é inerente ao homem! Como também as limitações da cultura de cada tempo e civilização. E a Igreja, portadora da eternidade que entrou no tempo, vai peregrinando, vai compreendendo sempre mais e melhor nos caminhos da história; assim vai exprimindo sempre a mesma Verdade - que não é simplesmente uma teoria ou uma doutrina, mas uma Pessoa: Jesus Cristo - de modos novos e com palavras novas.

Mas, ela não precisa temer! Cristo lhe prometeu: “Eu estarei convosco até o fim dos tempos!” Prometeu-lhe também o “Espírito da Verdade”, que haverá sempre de conduzir adiante a sua Igreja, até a Verdade plena, pois testemunhará sempre Jesus e sua salvação: “Ele tomará do que é meu e vo-lo anunciará!” Por isso a Igreja sabe que nunca poderá errar na sua profissão de fé.

Essa profissão não é um velho baú, cheio de verdades teóricas enferrujadas, mas, ao invés, é a viva Tradição apostólica, sempre interpretada de novo sob a guia do Espírito Santo, suscitando sempre novos desafios ante os desafios de cada época, de modo que, cada geração eclesial pode ter certeza de permanecer na mesma fé, sempre igual e sempre nova.

E para que a guarda da verdadeira fé e o modo de interpretá-la e transmiti-la fosse autêntico, sem cair nos delírios dos avançados nem no medo e no apego doentio a uma segurança do passado, própria dos atrasados, Cristo dotou a sua Igreja de um Magistério, formado pelo Papa, Sucessor de Pedro, e pelos Bispos em comunhão com ele, sucessores dos Apóstolos. Somente eles têm a autoridade dada pelo Cristo e confirmada pelo Espírito de interpretar retamente a fé da Igreja.

Num mundo confuso, numa Igreja batida por tantas ondas, quando Satanás, ao não vencer pelo menos do relaxamento e da secularização, tenta enganar pelo mais do exagero e de um tradicionalismo tão bobo quanto prepotente, a humilde comunhão com os pastores reais que o Cristo real colocou à frente do rebanho, é a mais decisiva garantia de que estamos seguros na verdadeira fé. Que Deus nos conserve, caro Visitante, neste caminho! As portas do inferno não prevalecerão! Valerá sempre o velho axioma, tão repetido pela sã Tradição: Ubi Petrus, ibi Ecclesia catholica!” – Onde está Pedro, aí está a Igreja católica! Para não haver dúvida: o nome de Pedro é Papa Francisco

Título Original: Um verdadeiro critério para um verdadeiro católico


Foto: Web

Site: Dom Henrique
Editado por Henrique Guilhon

domingo, 21 de abril de 2013

Onde a Igreja foi plantada?


Bíblia Católica Online

Há quase dois mil anos, o mundo mediterrâneo era controlado por Roma. O Grande Império se estendia da Síria até Portugal, das Ilhas Britânicas até o Egito. Fundado pelo gênio de Otávio Augusto, que soube concentrar em suas mãos o poder sem destruir as aparências da República, o Império vivia, no início da nossa era, um período de paz e prosperidade (Pax Romana).

O helenismo, a influência dos costumes e do pensamento gregos sobre o mundo mediterrâneo, estimulava o gosto pelas coisas espirituais (estoicismo, platonismo). Uma grande efervescência religiosa atingia todas as camadas da sociedade. O panteão romano, retocado pelo Olimpo grego, conservava seu prestígio e contava com inúmeros fiéis devotos. Mas existiam outras correntes se desenvolvendo. Pregadores anunciavam seus deuses em cada canto do Império. Vindos do Egito, através de Alexandria, chegavam os mistérios de Ísis e de Serápis. Os fenícios adoravam seus baalins. Em Roma, havia o culto sensual da deusa Cibele, mãe de Pessinonte. O orfismo afirmava a existência de mediadores entre Deus e os homens - para os pitagóricos, um Logos. As almas mais inquietas e sedentas de eternidade se voltavam para Mitra, o deus-sol dos arianos, cujo culto se fortalecia com a astrolatria caldéia. Uma enorme diversidade de sincretismos e superstições pululava por toda a parte.

Trazido do Oriente, desenvolvido pelos sucessores de Alexandre Magno, o culto ao soberano se implantou no Império. Quando morria um imperador, logo surgia um culto oficial à sua divindade. Nas províncias orientais, o imperador era adorado ainda em vida.

No meio dessa babel de crenças, um povo fazia questão de manter-se fiel a um só Deus, fugindo de toda contaminação pagã. Na Diáspora ou na Palestina, o pequeno povo de Israel jamais havia esquecido a fé dos antepassados, Abraão, Isaac e Jacó, e de como Yahweh os tinha libertado da escravidão no Egito. Tinha consciência do seu status superior, de ser uma raça escolhida e predestinada por Deus, herdeira das promessas divinas.

Entre Yahweh e o seu povo havia um laço, a Torá, a Lei que Moisés recebera no monte Sinai e que tinha de ser observada zelosamente. A Lei era uma coletânea de preceitos éticos e religiosos fixados em um conjunto de cinco livros sagrados, o Pentateuco. Ao lado do Pentateuco existiam outros livros, de cunho histórico, profético, poético, salmos... A sua coleção formava as Escrituras Sagradas do judaísmo.

Na época de Jesus ainda não havia um cânone fixo das Escrituras. Só depois, no final do século III, surgirá uma definição mais rigorosa. Ao lado dos livros, havia entre os judeus uma tradição oral, transmitida de pai para filho. O sinédrio, tendo a frente o sumo sacerdote, e os escribas, era o responsável pela guarda da Lei. Jerusalém, a cidade sagrada, e seu templo, eram o centro da religiosidade dos judeus.

Fora da Palestina, o judaísmo alexandrino começava a assimilar elementos do platonismo e do estoicismo. Fílon de Alexandria (13 a.C. a 54 d.C.) construiu um sofisticado sistema teológico e filosófico que integrava as Escrituras com certas correntes do pensamento grego. Tal movimento influenciava profundamente as comunidades judias da Diáspora e preparava o caminho para o desenvolvimento da teologia cristã.

Na Terra Santa, qualquer tentativa de assimilação com o helenismo era fortemente repelida. Antíoco Epífanes teve a ousadia de colocar um Júpiter olímpico no templo de Jerusalém e por isto enfrentou a ira dos Macabeus. Uma verdadeira guerra santa. Mesmo quando Roma reduziu Israel à condição de simples vassalo, o povo de Deus se apegou mais ainda à fé de seus pais e se uniu aos fariseus, sucessores dos piedosos (hasidim) da época dos Macabeus.

Os fariseus tinham uma espiritualidade centrada na meditação e no cumprimento da Torá. Para eles o pai judeu que ensinasse grego ao seu filho era maldito. Impunham uma rígida observância do Sábado. Cuidavam para que os menores mandamentos fossem sempre respeitados. Acreditavam na imortalidade da alma, na ressurreição, na existência de anjos, contrariando os ensinamentos dos saduceus, os quais só reconheciam o Pentateuco.

Os zelotas, rebeldes que combatiam a dominação romana pela luta armada, encarnavam o nacionalismo judeu em sua forma mais fanática e intransigente. Os essênios, segundo Flávio Josefo, se estabeleciam em várias cidades e eram numerosos. A comunidade essênia de Qumrã se diferenciava por seu estilo de vida cenobítico. Os Manuscritos do Mar Morto, encontrados recentemente, nos deram mais informações sobre este grupo em particular.

"Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, enviou Deus o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sob a Lei..." (Gl 4,4).


Título Original: História da Igreja Católica 1. O terreno onde a semente foi plantada


Site: Bíblia Católica Online
Editado por Henrique Guilhon